sábado, 22 de março de 2008

Caos no trânsito de São Paulo

O trânsito da cidade de São Paulo está cada dia mais insuportável. Em ano de eleição, talvez este tema seja um dos principais a serem colocados em pauta pelos candidatos. É verdade que não pode ser um tema predominante, em detrimento de outros, tais como saúde, educação, políticas públicas, segurança ou saneamento básico. Mas passar horas todo dia no trânsito prejudica a vida de todos os paulistanos.




A vereadora Soninha, pré-candidata à prefeitura pelo PPS, pronunciou-se de maneira muito lúcida sobre este tema, elogiando algumas medidas já tomadas nas últimas duas gestões e propondo novas. São trechos de uma entrevista que ela deu nesta semana:


"É preciso melhorar o modo como a cidade é ocupada. Hoje você tem um número de viagens forçadas que é inadministrável. O melhor sistema de transporte do mundo não dá conta desse êxodo diário de quem precisa sair dos bairros que são quase dormitórios ou das cidades da região metropolitana para vir trabalhar na região central da cidade. É preciso melhorar essa distribuição de gente e de trabalho no território. Ou seja, trazer mais gente para morar na região central. Pode parecer que não tem espaço, mas quando você treina o olho, você descobre que tem espaço. Tem terreno subaproveitado, e prédio deteriorado. E é preciso criar trabalho, investir no desenvolvimento das regiões mais afastadas do centro também."


"A Marta fez um trabalho muito bom na área de transporte. O bilhete único é uma revolução, combinado com a criação de mais corredores e terminais. O corredor, como foi implantado na gestão Marta, não é só uma pista segregada, mas uma nova filosofia de integração das linhas. Tem as linhas alimentadoras, que fazem o percurso dos bairros e trazem as pessoas para os terminais, onde existe a linha-tronco que pega o corredor e vai para o centro. Isso é possível com o bilhete único. As pessoas não vão ficar trocando de ônibus se tiver que pagar R$ 2,30 cada vez que embarcam. A combinação das duas coisas é sensacional."


"Faltou racionalizar melhor as linhas, os trajetos. Hoje em dia você tem congestionamento no corredor de ônibus, tem ônibus demais. Parece que a solução para o transporte coletivo é ter mais ônibus. A solução, em alguns lugares, é ter menos ônibus, para ele ter mais partidas e andar mais rápido."


"O investimento em circulação de pedestres é muito deficiente. Segundo as últimas pesquisas de origem e destino, um terço das viagens em São Paulo é feita a pé. E os pedestres são muito maltratados. Pensa na vida de um pedestre que quer ir de um lado para o outro da marginal para pegar um trem. É infernal. Muitas coisas foram deixadas de lado. A integração melhor de carros com o sistema coletivo. Você que quer ir de carro até a estação de metrô tem a maior dificuldade para parar. Política de estacionamento avançou muito pouco. As pessoas deixaram de estudar melhor mais restrições ao automóvel, que os técnicos defendem há muito tempo, e os políticos não querem nem pensar em falar, porque é impopular. Mas você está falando de um espaço que é escasso, se é escasso é caro, então, você tem que ocupar esse espaço da melhor maneira possível. O espaço público que o automóvel ocupa é irracional e injusto. É uma pessoa ocupando um espaço imenso."

2 comentários:

felício disse...

fica díficil de saber se essas medidas iam adiantar. a grande solução para mim é aumentar o investimento no metrô. não tem outro jeito, na minha visão. e aí eh um problema do governo do estado. não tem jeito.

Anônimo disse...

sou sou sou soninha